SÍNDROME DE PETER PAN


                                     
A história é muito conhecida pelo menino que não queria crescer. Para isso, viveria eternamente na Terra do Nunca, junto com sua “companheira”, a Fada Sininho e a legião de meninos perdidos.
Dos contos para a vida real, com crescente freqüência, encontramos uma grande semelhança, pois o conhecido Peter Pan, vem conquistando um número expressivo de nossa população pueril. Caso não consigam serem libertados, poderão ter conflitos emocionais e sociais que lhe seguirão por toda a vida.
As crianças de hoje vivem em constante turbulência, igual a que Peter vivia na Terra do Nunca. Um número significativo de homens que poderíamos denominar de bem sucedidos, ainda se comportam como os meninos perdidos.
Apesar de toda alegria e leveza que Pan demonstrava ter, era uma criança triste e profundamente perturbada. Ele vivia num conflito constante entre o homem que não desejava se tornar e o menino que não poderia continuar a ser.
Quando a vítima da SPP (Síndrome de Peter Pan) insiste em permanecer na Terra do Nunca por muito tempo, seu comportamento se distancia da realidade fugindo às responsabilidades que lhe são imputadas para seu amadurecimento a caminho da fase adulta.
Em Alguns momentos, todos nós desejamos polvilhar um pouco do pó de pirlim-pim-pim em nossas cabeças e assim poder voar para a Terra do Nunca, contanto que retornemos quando é chegado o momento de nos relacionarmos com a realidade.
A Síndrome de Peter Pan, que atinge apenas os meninos, tem raízes na infância, tendo sua manifestação apenas na puberdade.
As vítimas da SPP são inteligentes, sensíveis e sinceras. Vivem na casa dos pais, estudando e ou trabalhando, com pouco sucesso. Sua vida sexual é relatada, por eles, como sendo bem sucedida, contudo, na realidade, não sente muito à vontade junto às mulheres. Quando se casam, fingem serem felizes com a família que construiu. Assim, as vítimas da SPP, são sós e sua negligência é justificada como necessidade de relaxar.
Para maximizar sua irresponsabilidade, toma algumas atitudes como deixar o quarto em desordem, o banheiro molhado, sapatos e meias sujas pela sala, copos e pratos sujos pela casa, assim como ter mal comportamento com a família diante de visitas.
A segunda etapa é acrescentar uma dose de preguiça, assim a maturidade não terá chance de surgir.
O anjinho, o ranheta, o cego-surdo-mudo e o bem intencionado, são outros alicerces da SPP.
A ansiedade é a base da SPP, originando-se da discórdia no lar. O problema de comunicação dos pais afeta as crianças de tal forma que trazem uma atmosfera de tensão e ansiedade para elas. A criança acaba se tornando desagradável e injusta com as pessoas que mais ama.
Quando adultos, desejam que a namorada ou companheira substitua sua mãe, e que esta aprove suas atitudes.
Nunca consegue pedir desculpas, pois pensar em pronunciar tal palavra lhe traz um sentimento de indignação.
A solidão é a sua maior companheira, mesmo estando cercado de amigos. Para a vítima que se sente rejeitado em casa, o grupo de amigos passa  ser de maior importância.
É obcecado pela perfeição, tendo pouco senso de lealdade, se é que existe alguma. Nunca admite culpa, pois seria sinal de admitir imperfeição.
Quanto maior o número de moças seduzidas sexualmente, mais perfeito se julga. A vítima exibe um chauvinismo muito perigoso. Ela diz acreditar, e até pode por algum tempo, num relacionamento igualitário entre homem e mulher. Estabelece duplo padrão de conduta, ou seja, para a mulher amada é sensível e compreensível, mas para os amigos, sua companheira é ridicularizada levando todos às gargalhadas.
Torna-se um workaholic, tentando provar sua superioridade no trabalho, enquanto dita à esposa o seu papel no relacionamento.
O homem culpará sua mãe por todos os seus problemas, dos quais gasta a maior parte do tempo em evitá-los, conquanto se tivesse tentado resolvê-los, sairia da Terra do Nunca e jamais retornaria.
Os problemas sexuais não são tão raros, tornando a única característica impossível de silenciar, já que o relacionamento é tumultuado.
A vítima poderá deixar a legião dos meninos perdidos se a família se dispuser à vários meses de esforços.
Primeiramente, deve-se saber que a mulher, seja ela mãe, esposa ou mesmo companheira, é a pessoa mais apta a perceber e denunciar o sofrimento familiar.
Os pais detêm o poder no tocante as regras da casa. Este princípio permite um confronto com o filho irresponsável, fazendo com que ele entenda que sua interferência é pelo fato dele não saber se cuidar.
As crianças necessitam de pais, afinal, amigos, ela já os tem. As limitações que os pais impõem trazem autocontrole, indispensável para um desenvolvimento saudável.
A atmosfera de tensão que existe no lar da vítima da SPP, deve ser revertida, assim a família poderá participar de atividades em que todos gostem.
Alguns pais, por terem sido criados em lares sem limites, acreditam que conversar “converterá” seu filho. Estes pais é que necessitam de autodisciplina em suas atividades.
Não poupe seu filho de tarefas que são atribuídas a ele, pois deve saber o que é responsabilidade e conseqüência. Não o isente das regras de conduta moral, desta forma exclua qualquer comportamento chauvinista principalmente diante do filho.
A vítima da SPP começará a enfrentar a autoridade dos pais, fazendo de tudo para que cedam. É neste momento que os pais deverão permanecer em suas posições, sem esmorecer, do contrário será tudo em vão.
Estabeleça algumas regras a serem cumpridas, mesmo que seu filho já tenha mais de vinte anos. O único remédio contra o pó de pirlim-pim-pim é uma boa dose de realidade.
Seja como for, não procure querer saber o porquê nem mesmo tenha sentimentos de culpa, pois só irá pior a situação. Pense que seu filho, seja qual for a idade dele, necessita de ajuda para desertar da Terra do Nunca. A procura de um profissional poderá ser de grande valia no que diz respeito à orientação e assim fortalecê-lo para a grande “batalha”.
REFERÊNCIA: kiley, Dan – Sindrome de Peter Pan- Ed. Mellhoramentos- São Paulo, 1983

Comentários

  1. Tenho esta sindrome e quero cura la , mas nao quero falar com ninguem sobre isto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como resolver esta questão se não deseja falar sobre ela?
      Pense bem o que te faz ficar nessa posição
      Talvez o medo do novo
      Conhecer-se dá trabalho e muita dor no inicio, mas com persistência , tudo é resolvido......boa sorte.

      Excluir
  2. já eu, tenho e estou muito bem adaptado nela...sem necessidades de sair...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como saber se tem ou não o problema?
      Faz-se necessário uma avaliação e garanto que em apenas quinze minutos não seria possível
      A questão no seu caso me chama a atenção quando diz estar adaptado
      É uma adaptação ou um conformismo de não desejar mudar, seja qual a questão que tenha?
      Mudar de clima, de roupa , paisagem e cidade, enfim, são apenas algumas coisas que fazemos sem nos apercebermos que mudamos.
      Avalie e pense numa terapia para um alto conhecimento
      Boa sorte

      Excluir
  3. Não sei se tenho, e me preocupo com um amigo que possa ter, como posso saber? e como posso ajudar ele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Converse com seu amigo e veja se há um desejo de fazer uma terapia.
      Não há como avaliarmos sem a visão de um profissional e com a vaga informação que você deu.
      Mas vejo uma certa insegurança de sua parte.
      Porque não você fazer terapia para saber como lidar com seu amigo?
      Espero que pense com carinho
      Boa sorte

      Excluir
  4. Eu tb desconfio que eu tenha essa síndrome...Tenho comigo a mulher da minha vida que apesar de ser um pouco mais nova do que eu,é muito mais madura e preparada pra vida,enquanto eu apesar de ter o desejo legítimo de viver uma vida feliz ao lado dela,sinto muito medo de encarar a realidade de um trabalho,faculdade,contas à pagar...Não quero ficar pra trás na vida,mas eu tenho um medo muito grande de assumir minhas próprias responsabilidades e crescer! Eu tenho o desejo de me livrar disso e assumir a idade que eu realmente tenho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já deu o primeiro passo para o sucesso, o desejo.
      Continue nesse caminho e faça uma terapia para identificar este medo.
      Me parece que você não deva ter a Sindrome de Peter Pan, mas vale uma avaliação de um profissional.
      Boa sorte

      Excluir
  5. Eu também tenho, mais não tenho coragem de pedir ajuda pra completar acho que também tenho T.O.C e agora querem que eu vá pra faculdade estou com muito medo não sei o que fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novos ares são importantes para todos nós.
      Uma faculdade não é um mostro, mas sim uma maneira de você crescer e conquistar seu espaço.
      A auto avaliação é perigosa, procure um profissional que poderá também te ajudar na busca de um curso que se adeque a você.
      Boa sorte

      Excluir
  6. Acho que eu tenho essa sindrome e já estou me formando no ensino médio e faço um curso Técnico profissionalizante e tenho medo de entrevistas de emprego e faculdade embora que eu quero cursar uma faculdade mas não me sinto feliz com o meu curso já que estou na etapa final e já vou sair dele empregado tenho medo das decepções que possam ocorrer tanto na vida profissional quanto na vida pessoal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A insegurança , o medo faz parte de nossa vida.
      Me parece que ainda é novo, desta forma se não estiver feliz com o curso que terminou, faça outro, saber não ocupa lugar.
      Decepção, quem nunca teve?
      Não se dê por derrotado sem antes tentar
      Busque, vá em frente te tente tantas vezes for necessário
      Só assim crescerá e pare de alimentar o monstrinho que mora dentro de você, ele só tende a crescer com o passar do tempo, mate-o de fome e seja feliz.
      Boa sorte

      Excluir
  7. Eu não sei o que fazer eu tenho essa síndrome e tenho T.O.C também mais não quero contar pra minha família eles já tem problemas demais a solução é sofrer calado mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Busque ajuda profissional
      Há um lugar onde pode falar sem precisar preocupar a família
      De mais a mais, não sabemos se realmente é o que você suspeita
      Estamos sempre em busca de problemas e nunca de ser feliz
      Vá até um profissional que irá arrancar estes "achismos" de você, com algo mais certo.
      Boa sorte

      Excluir
  8. Meu marido tem 48 anos tem SPP E TOC, ele saiu de casa para me chantagear, levou algum dinheiro meu , desde que casamos nunca trabalhou, ele esta me adoecendo. triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MELHOR PERDER DINHEIRO DO QUE A SAÚDE E DEPOIS A VIDA. MAGOA CONTÍNUA CAUSA MUITAS DOENÇAS, UMA DELAS E BEM COMUM, É O CÂNCER!
      CORAGEM E BUSQUE SUA FELICIDADE.
      SEJA BUSCANDO UMA MELHORA DEFINITIVA DO SEU MARIDO OU PARTINDO PRA OUTRA.
      VC TB VAI PRECISAR DE TERAPIA, PARA SUPERAR TUDO ISSO. NÃO TEM PESSOA QUE NÃO FIQUE ABALADADA DEPOIS DE PASSAR POR UMA SITUAÇÃO DESSAS.
      DESCULPE POR ESTAR ME METENDO, MAS ESTOU PASSANDO POR ALGO SEMELHANTE E ESTOU BUSCANDO AJUDA E TENDO UMA POSIÇÃO MAIS FIRME DIANTE DO MEU MARIDO. OU EXISTE UMA MELHORA IMPORTANTE OU ESTOU FORA!!!
      MUITA LUZ!

      Excluir
    2. Buscar ajuda é uma maneira bem sábia de resolver a questão de um relacionamento.
      Afinal quem come o sal com ele é você
      Mas veja o quanto permite que ele faça tudo o que faz
      Ele pode fazer as tarefas domesticas para aliviar a carga sobre seus ombros, basta ser pulso firme e para isto busque ajuda profissional como nossa amiga já disse.
      Quando ao termino do relacionamento, este deve ser decidido por você e desta forma espero que faça a melhor escolha, aquela que te fará feliz, pois quando me amo o outro me ama
      Boa sorte

      Excluir
  9. Gostei. Estou compartilhando em minha página no FB.

    ResponderExcluir
  10. Já mantive um relacionamento com um homem que hoje tenho certeza que se enquadra bem nessa Síndrome. Até então, durante o nosso namoro eu não tinha esse conhecimento e saí dessa relação muito magoada. Ele tinha 40 anos, inúmeros relacinamentos anteriores mal sucedidos, morava com a mãe que não se dava bem com ele, parecia que tudo que ela fazia o ofendia, fruto de uma infancia difícil do qual foi adotado por essa família contra a vontade da mãe. A sós era sensível e delicado mas na frente dos amigos precisava se sobressair. Não tenho conhecimento que ele tenha namorado mulheres mais velhas, até então eu tinha 17 e até hoje ele continua com garotas. Sinto muita pena, pois percebo que por mais que ele queira se mostrar forte e autossuficiente no fundo ele é solitário e frustrado. Mas não tenho esse altruísmo para ajudá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você conseguiu sair deste relacionamento.
      Busque ajuda para elaborar esta mágoa.
      Ninguém nos magoa, nós é que deixamos o outro nos magoar
      Permita coisas boas em sua vida e seja muito feliz
      Boa sorte

      Excluir
  11. Tenho um filho adolescente que acredito ter esta SPP. Ele é o filho do meio de tres. Meu filho mais velho é apenas 1ano e 2 meses mais velho que ele e é o oposto, extremamente responsavel e maduro, sempre usam isto como comparaçao tanto no ambiente familiar quanto na escola. Ele é 5 anos mais velho que a irmã mais nova, mas nunca a aceitou muito bem, tem muito ciumes dela. Ele esta começando a se tornar agressivo nas palavras, nao aceita criticas, esta mais desorganizado, com um baixo rendimento escolar. Gostaria de receber allgumas dicas de como licar com ele, acho que podemos ajudar no processo de sair desse quadro, alem do mais nao podemos pagar um tratamento psicoterapico pra ele no momento. Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mãe,há muitos lugares que fazem terapia gratuitamente,inclusive em postos de saúde.
      Uma sugestão, porque você não faz algumas sessões?
      Sim, você mesma, assim poderá saber como lidar com seu filho.
      Normalmente os filhos são sinalizadores de que algo não vai bem na família.
      Seu filho me parece este sinalizador. Conversar se ouvir, principalmente é de grande ajuda, mas se isto não é possível, creio que as sessões de psicoterapia para você lhe dará um norte.
      Sucesso

      Excluir
  12. Olá me identifiquei com boa parte do texto, estou num momento complicado em minha vida, vejo que minha namorada está se amadurecendo, já que estamos juntos a mais de 5 anos, em contra partida eu, mesmo fazendo um curso superior, tenho receio das responsabilidades do mercado de trabalho, e de formarmos uma família, amo muito ela, e é triste ver que ela está se distanciando por causa dessa síndrome. Temo que já esteja tarde, não quero ter um futuro triste, solitário e sem perspectivas. Teria além do tratamento psicológico outra maneira de também me ajudar com essa síndrome?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Em primeiro lugar, não sabemos se seu caso é realmente este.
      Em segundo, qual o medo de uma terapia?
      A busca de conhecer-se é dolorosa, mas não tão grande que tenha de ser evitada para viver de uma maneira infeliz.
      Pense nisso e sucesso em suas escolhas

      Excluir
  13. muito bem amigos, não se sintam só ou mito diferentes. eu tenho mais de 30, e me sinto um peter pan preso na terra do nunca. ha poucos meses tive umas especies de surtos fantasticos, onde achei que diversos problemas da vida poderiam ser resolvidos de uma só vez, com atitures de exclusao familiar e de amigos, e inclusao em outros meios aparentemente mais fantasiosos. tenho vergonha pq tenho percebido ha tempos que muia coisa que eu faço é fantasia, inclusive parte da minha produção artistica. sempre me vi como perfeito, bonti, inteligente e muitas vezes foi e sou ainda elogiado como desta maneira. talvez realmente pelo que aparece para sociedade sobre mim, ou o que eu deixo aparecer. acho sim que meus mais, principalmente minha mae, foram superprotetores a mim, e talvez ao meus irmaos. a perginta é. pq será que só eu fiquei preso na terra do nunca? pq só eu que sofro de depressao, panico, tenho surtos, medo de trabalhar, etc. na verdade entendo que todos meus irmsaos podem ter isso em algum grau, mas eles com certeza conseguiram escapar, tiveram talvez mais coragem. eu fui adiando, adiando, tentando, consegui alguams coisas outras nem tanto, parece que sempre vou um pouco e depois volto, com medo de sair deste estado de proteção real. Tenho inclusive dores no corpo e na mente quando me sinto abandonado, ou desprotegido. alguma pessoa aqui ou psicologa vai dizer que estou no caminho certo, pq estou reconhecendo, uau. que coisa mais linda. porem muito chata de se ouvir quando sinto e percebo que estou nisso a muitos anos. sou muito criacça mesmo. dificil nao ser. parece que dói de verdade deixar de ser e as vezes sinto que é preferivel morrer, como já "tentei" morrer pra isto, me drogando mais do que o possivel, me isolando, fugindo das responsabilidades, e fugindo da possibilidade de ter responsabilidade. quando vc tem isso (ninguem nunca me disse que tenho, eu que acho) vc tem medo de tudo uma certa hora. eu tenho vergonha da minha idade, pq pareço fisicamente ter menos. pq pareço irresponsavel, pq sou irresponsavel, pq tenho menos idade em termos de realização parece. entendo que nao há parametros perfeitos para dizer o que eu deveria ter feito até agora meus 30 e pouos anos. pra você ver, eu tenho vergonha até de dizer quantos anos eu realmente tenho para que não me "peguem" aqui neste depoimento. é bem sofrivel sim. E não estou escrevendo para que alguém tenha pena de mim, tampouco desejo ouvir os mesmos conselhos de sempre e não fazer nada. Eu deveria é fazer alguma coisa mais legal pra mim, talvez divertida, (e este pensamento em se diertir hoje já gera culpa, por aparentemente não me sentir cidadão do trabalho, do mundo, para mim e para a sociedade) ou então produtiva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enfim, é assim que começam as crises de panico, quanto mais eu ficar aqui enrolando e não encarar as pessoas que estão por aí e a vida mais eu me sufoco e posso ter uma crise. Beijo pra todos, e espero que cada um saiba lidar com seus proprios problemas.

      Excluir
    2. Me parece em seu relato que você sofre por não conseguir satisfazer os anseios dos outros.
      Os sonhos alheios não são seus e desta forma se alguém deseja algo, que faça por si,não para o outro.
      Se esconder é uma maneira de não se aceitar.Talvez pelo fato de acreditar que os outros não te aceitem?
      Se drogar também é uma maneira de se esconde de si mesmo, afinal é uma maneira de esquecer quem é.
      A palavra "peguem", me chamou a atenção.Pegar no pulo, pegar surrupiando, pegar mentindo , pegar o que?
      Talvez não seja uma Sindrome de Peter Pan e sim uma não aceitação de si mesmo.
      Se você não estivesse se importando, não daria um relato tão extenso.
      Pense em buscar ajuda e quem sabe ajudar seus irmãos,quando eles verem que você está mais auto confiante.
      Sucesso

      Excluir
  14. Eu vvo um relacionamento com um cara assim. Ele tem 32 anos, aparenta ter menos. Eu sou mais velha, separada e 2 filhos adolescentes. Ele diz que nao quer nada sério mas nao sai do meu pé. Ele é frio, distante as vezes e qdo brigo fica carinhoso e sensivel. Cheio de problemas familiares. Se acha preterido pela mae. Vive na academia e trabalha pouco. Eu acho que assumi meio que um papel de mae protetora dele. Aquela que compreende e nao quer que ele se sinta rejeitado. Estou tentando me afastar dele, mas tem sido muito dificil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Busque ajuda profissional, pois antes dele, você também tem uma questão em não conseguir se afastar.
      Perceba que você coloca a responsabilidade nele de vocês não colocarem um fim nesta relação a três.Sim, três, pois a mãe dele é a outra, a qual ele tem dificuldade de deixar.
      Você também se coloca como mãe dele,a qual não é,pois ele já tem uma.
      Reveja suas questões e porque se aproximou de alguém tão problemático.Como era seu outro relacionamento?
      Como terminou?
      Terminou de fato para você?
      Espero que tenha ajudado
      Sucesso

      Excluir
    2. Tenho 23 anos e nhnca.me conformei com isso , minha infancia foi a melhor de.todas anos 90 nossa , todos os desenhos tudo , msm gostando de yransar e tudo sonhando em ter uma mulher linda e tal , n consigo me desprender do passado , ja tentei varias coisas pra voltar a ser crianca e no comeco dava certo como maconha e bebida , so quenisso e oura ilusão quade me ferrei depois disso e fui daki o melhor , mas toda noite eu tenho q ouvir musicas da infancia ou anos 90, essa parte das.mulheres tbm sempre foi assim , smo quis pegar um monte e depois sair contando e me sentindo o maximo e hj eu n tenho nenhuma , so uma , mas msm assim esse lado criança me persegue , eu acho.bom legal mas as vezes queria ser tipo um cara sem lembrancas e militar sabe , durao pra enfrentar os problemas da vida , coisa q n consigo

      Excluir
    3. Sem contar o Toc o panico sei la eu meio q curto uma depre pode uma coisa dessas ? Pelo menos nunca vitei bandido gay politico , a vdd e q eu tbm nunca fui e nada com 23 anos vejo a vida passar e as pessoas se formando e tal mas eu ainda moro com.minha mae , essa parte de relacionamento com mulheres mais velhas tbm me.identifiquei muito parece q curto atrailas e me sinto mais atraido tenho 23 e ja fiquei com mulheres acima de 50 e de 40 todas gatas elas cuidam de mim diferentes dessas meninas q nunca me deram valor , nunca quiseram nada e smp me.largaram na vdd o que mr importa e a minha familia msm eu ainda vou sair dabterra do nunca mas tem coisas de.la que eu aprendi nem tudo na vida real e umar de.flores tbm , ahhh man q raiva velhow eu to falando isso aki , mas ja era e um.dia um dia eu sairei mas por mim do q pelos outros

      Excluir
  15. Uau!Os homens que jogam videogame, e adoram um futebol sofrem de síndrome de Peter Pan! Eles devem “crescer” e dedicar suas vidas apenas a esposa e filhos, esquecendo-se de suas próprias vidas…
    A coitada da esposa pode estar sofrendo da síndrome de Wendy, ou seja ela se dedica demais ao marido, se sacrifica pelo casamento…esta errada, tem que pensar em si própria…
    Aí então temos as mocinhas com síndrome de Cinderela, coitadas, ficam esperando o príncipe encantado, aquele que poderia ser seu futuro esposo, enquanto tem uma vida “inteira” pela frente, com transas, independência,etc…..que desperdício se guardar para um só homem, afinal ele talvez nem exista…talvez!
    Resumindo o que a tal teoria (porque não passa disso) ensina: O homem não tem direito a ter sua própria vida,pois isso significaria “infantilidade”,”imaturidade”.Ele deve trabalhar que nem cão, sem diversão, ir a guerra quando convocado, defender o lar e a família, ou seja, viver para os outros, afinal ele tem de “crescer”…
    Em contrapartida a mulher sim tem que aproveitar a vida, assistir novelas, ir ao cinema, namorar, se divertir, enfim ter a liberdade e independência, caso contrário ela esta apenas se sacrificando em prol da família….ai, que síndrome horrível…
    Me perdoem pela sinceridade, mas tais teorias “julgadoras” são mínimo um contrassenso que foge completamente da ideia moderna da “igualdade de gêneros”,ou será que eu ainda não cresci o bastante para entender tal divisão social torpe?…que medo…
    Vou mais além, a síndrome de Peter Pan e a de Wendy foram inventadas,ops!…”descobertas” pelo grande psicólogoDr. Dan Kiley que assim afirmou, e até escreveu uma série de livros (esperto ele,né)…mas o que ninguém diz aqui, numa total falta de responsabilidade, é que” não há evidências de que estas síndromes sejam uma doença psicológica real, e por isso não está referenciada nos manuais de transtornos mentais. Não consta, por exemplo, no DSM IV.
    É triste a falta de profissionalismo e respeito as pessoas.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

COMO ANDA SEU HORÓSCOPO HOJE!!!

PERVERSO X HISTÉRICA